Grandes Navegações: Superioridade das Embarcações portuguesas


No século XVI três embarcações dominavam os mares: a caravela, a nau e o galeão. As caravelas foram muito utilizadas na etapa inicial das grandes navegações. Pequenas e fáceis de se manobrar permitiam que se penetrasse em águas rasas. Suas velas triangulares se serviam de ventos de diferentes direções. As naus, por sua vez, eram embarcações com maior capacidade de carga, utilizadas a partir do momento em que as rotas marítimas se tornaram caminhos conhecidos. Por fim, o século XVI presenciou o surgimento do galeão. Mortífero, o galeão tinha mais armas que as naus e caravelas; era uma embarcação feita, sobretudo, para guerrear.

Ilustração representando a Nau de Pedro Álvares Cabral. Detalhe de desenho do Livro das Armadas.

Revista Historia Viva, ano 2, n° 19, maio 2005. Detalhe de uma tapeçaria, mostrando a capacidade bélica das embarcações portuguesas na tomada de Arzila em 1471.


Os conteúdos dispostos nas postagens são rascunhos, podendo apresentar erros de concordância ou ortografia. Na medida do possível tentar-se-á corrigir as imprecisões, incluir a bibliografia e rever textos e informações imprecisas.

P.S. - Se você curtiu as postagens e o blog foi útil não deixe de clicar em um dos anúncios!


Imago História

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os conteúdos dispostos nas postagens são rascunhos, podendo apresentar erros de concordância ou ortografia. Na medida do possível tentar-se-á corrigir as imprecisões, incluir a bibliografia e rever textos e informações imprecisas.

P.S. - Se você curtiu as postagens e o blog foi útil não deixe de clicar em um dos anúncios!