Charges Históricas - Belmonte e a Segunda Guerra Mundial



"O artista tem que viver entre o povo, embora não deva fazer concessões à popularidade. Ser popular não é o mesmo que ser vulgar. O "xis" da questão está em tomar um assunto complicado e difícil, digerí-lo, simplificá-lo e torná-lo acessível ao grande público. Resumir numa charge, por exemplo, um problema econômico ou financeiro, eis o ideal(...) fazer arte para ser entendido por algumas pessoas é criar uma aristocracia artística."

(Belmonte)



Benedito Carneiro Bastos Barreto nasceu em São Paulo, no ano de 1896. De família pobre, Belmonte tinha desde pequeno um talento que acabou por colocá-lo indubitavelmente no rol dos grandes desenhistas do Brasil em todos os tempos. Apesar de atuar em diversas áreas, como a pintura, jornalismo, crônica e ilustrações (entre outras) acabou mesmo tendo sua imagem associada à caricatura. Foi assim que criticou o Estado Novo de Vargas e acabou censurado pelo DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda), e foi assim, também, que sua obra correu o mundo, em especial na época da Segunda Guerra Mundial.

As críticas de Belmonte ao nazismo mereceram atém mesmo críticas inflamadas de Goebbels em suas transmissões radiofônicas, que alegava contundentemente que o brasileiro estava sendo pago por ingleses e norte-americanos. Certamente a maior reconhecimento que poderia acontecer. Abaixo uma super postagem com algumas caricaturas de Belmonte na tendo em foca a Segunda Guerra Mundial.


O rei Carol - Não avance! Saiba que estamos sob a protecção das grandes democracias!
Hitler - Não tem importãncia. Eu também estou...

Crítica direta a política de anexação de territórios levada a cabo por Hitler e que irá culminar com a invasão da Polônia, dando início a Segunda Guerra Mundial. Repare na ironia à Política de Apaziguamento, onde as potências européias relutavam em enfrentar a ameaça nazista.


A imagem, publicada antes de Hitler invadir a Polônia já antecipava os possíveia acontecimentos. Dantzig, outrora cidade alemã, foi incorporada ao território Polonês no final da Primeira Guerra Mundial. Hitler, contudo, achava que por direito, a cidade pertencia a Alemanha, fazendo parte do propagada "espaço vital alemão".

- Há muito tempo que o Sr. está aí incomodando minha afilhada! Falemos claro: as suas intenções são boas?
- Não senhos!
- Ah! Bom! Pensei que as suas intenções não eram boas...

Outra referência a política de não-enfrentamento, principalmente por parte dos franceses e ingleses, que evitam e fazem concessões absurdas para tentar aplacar a voracidade nazista.

"Estejam sob que mãos estiverem, a Alemanha tem direito a todas as suas antigas colônias".

Ainda em 1938, Belmonte já sinalizava para um desfecho nada positivo em relação a expansão nazista. É possível que as potências aliadas ainda tivessem a sonho de um enfrentamento entre nazistas e socialistas, o que não se efetivou.


Tem mais sobre a Segunda Guerra Mundial! É só clicar nos links e ler mais um pouco!


Os conteúdos dispostos nas postagens são rascunhos, podendo apresentar erros de concordância ou ortografia. Na medida do possível tentar-se-á corrigir as imprecisões, incluir a bibliografia e rever textos e informações imprecisas.

P.S. - Se você curtiu as postagens e o blog foi útil não deixe de clicar em um dos anúncios!


Imago História

Um comentário:

  1. ual, otimo post, me ajudo muito na minha pesquisa p/ escola.

    ResponderExcluir

Os conteúdos dispostos nas postagens são rascunhos, podendo apresentar erros de concordância ou ortografia. Na medida do possível tentar-se-á corrigir as imprecisões, incluir a bibliografia e rever textos e informações imprecisas.

P.S. - Se você curtiu as postagens e o blog foi útil não deixe de clicar em um dos anúncios!