Dinâmica Demográfica (1 de 2): Crescimento Demográfico


Crescimento demográfico:

· Vertical ou vegetativo (diferença entre a taxa de natalidade e mortalidade, atualmente é de 1,32 no Brasil).

· Horizontal (fluxos migratórios)

Crescimento vertical ou vegetativo

Na contemporaneidade vê-se uma tendência da redução da taxa de natalidade, inclusive e acentuadamente no Brasil:
 
1970 – 5,8 filhos por mulher
2001 – 2,2 filhos por mulher
 
Entre as motivações que favorecem essa tendência pode-se destacar: 

· Incorporação das mulheres no mercado de trabalho. 

· Exigência da qualificação profissional e casamento tardio. 

· Com a urbanização e a migração para as cidades, o alto custo em relação à criação dos filhos em contraposição com a vida no campo, onde não raro se praticava a economia de subsistência. Conjuntamente, a necessidade da especialização da mão-de-obra e a tardia entrada dos filhos no mercado de trabalho. 

· Métodos anticoncepcionais (outro efeito do processo de urbanização). 

· O avanço da sociedade de consumo, a ultravalorização do hedonismo e o narcisismo, típicos sintomas da sociedade globalizada e dita pós-moderna. Tendência de redução da taxa de mortalidade, mesmo assim, o Brasil fica atrás dos países mais desenvolvidos, como, por exemplo, na taxa de mortalidade nos nascimentos: 

Brasil – 30 mortes para cada mil nascimentos (antes de um ano de vida).
Europa – 7 mortes para cada mil nascimentos, (antes de um ano de vida). 
Taxa de mortalidade do Brasil e algumas comparações com dados de 2003:


Brasil - 23,6
Norte - 26,2
Nordeste - 35,5
Sudeste - 15,6
Sul - 15,8
Centro-Oeste - 18,7


Argentina - 16,5
Chile - 7,8
Cuba - 5,8
México - 19,7
Peru - 33,4
Principal Motivação da redução da taxa de mortalidade (mesmo que lenta): Urbanização e a revolução médica-sanitária. 

Como conclusão pode-se dizer que a população de adultos e acima dos 65 anos tem aumentado, trazendo importante reflexos para a estrutura da sociedade brasileira, ocasionando: 

· Aumento do déficit público
· Aumento dos gastos com a Previdência Social
· Novas formas de se pensar a aposentadoria no Brasil
 
 Mortalidade por região
Crescimento Horizontal 

Antigamente, um país de imigrantes: 

· Durante todo o período colonial e durante boa parte do Império o Brasil assistiu a imigração forçada de milhares de negros africanos, que eram utilizados como mão-de-obra escrava. Da mesma forma, o preamento de indígenas e o tráfico interno foram uma constante durante todo esse período. 

· A partir de 1808, com a chegada da Corte, foi liberada a entrada de imigrantes, com a fundação das primeiras colônias. 

· A imigração acentuou-se no final do século XIX, com a necessidade de proporcionar a transição da mão-de-obra escrava para novas relações de trabalho pautadas na mão-de-obra livre europeia. No Paraná, por exemplo, instituiu-se uma política de atração de imigrantes, baseada na ideia de “clareamento” da raça. 

Na atualidade, um país emigrante: 

· Suposta alegação de baixo crescimento econômico. 

· Trata-se, sobretudo, de “fazer a vida”, ou seja, buscar o seu enriquecimento. 

· Algo em torno de 2 a 3 milhões de brasileiros residem no exterior.


Os conteúdos dispostos nas postagens são rascunhos, podendo apresentar erros de concordância ou ortografia. Na medida do possível tentar-se-á corrigir as imprecisões, incluir a bibliografia e rever textos e informações imprecisas.

P.S. - Se você curtiu as postagens e o blog foi útil não deixe de clicar em um dos anúncios!


Imago História

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os conteúdos dispostos nas postagens são rascunhos, podendo apresentar erros de concordância ou ortografia. Na medida do possível tentar-se-á corrigir as imprecisões, incluir a bibliografia e rever textos e informações imprecisas.

P.S. - Se você curtiu as postagens e o blog foi útil não deixe de clicar em um dos anúncios!