Valores (2 de 2) - Apontamentos sobre a classificação dos valores


Pode-se buscar uma classificação para os valores, destacando-se:

Os valores do hedonismo (prazer e desprazer)
. Dizem respeito aos valores do prazer, do agradável, da satisfação. Busca-se a experimentação de das sensações prazerosas, inclusive, e principalmente, as intelectuais, e de tudo que possa levar a elas, como a comida, bebidas, etc.

Os valores vitais (forte e débil). São aqueles que dizem respeito à bios, ou seja, à vida, como, por exemplo, a vitalidade, a força, a saúde, etc. Nietzsche considerava os valores vitais os mais importantes de todos os valores, dando origem a uma espécie de biologismo ético, que mais tarde será apropriado pelos regimes ultranacionalistas do início do século XX. O arianismo pode ser considerado uma espécie de culto à vitalidade e força da chamada raça ariana pelos nazistas, uma forma deturpada dos valores chamados vitais.

Os valores de utilidade (adequado e inadequado). Liga-se à economia. Diz respeito à satisfação das necessidades da vida, como a alimentação, o vestuário, a habitação e assim por diante.

A idéia da “busca da felicidade”, princípio incluso na constituição dos Estados Unidos pode ser considerado um valor associado à utilidade, ou seja, a busca do caráter utilitário, das necessidades da vida.
 
Os valores lógicos (verdade e falsidade, conhecimento e ignorância). Trata-se do conhecimento, do saber, da posse da verdade e do esforço para se alcançar essa verdade.
Valores éticos (justo e injusto).

- Dizem respeito sempre às pessoas, nunca as coisas.
- Tem a força de um imperativo absoluto (certo ou errado; deve ou não deve fazer).
- Se apregoa o direito de se tornarem universais, ou seja, direcionado ao conjunto dos homens.
- São totalitários, ou seja, presentes e vigilantes em todos os momentos da vida. 



Valores estéticos (belo e horrível). A busca do corpo perfeito na contemporaneidade pode ser considerada um valor estético. Vamos pensar, por exemplo, por exemplo, nas pessoas que se submetem a inúmeras cirurgias estéticas, que muitas vezes não alcançam o resultado esperado.

Valores religiosos (santo e profano). Nos dias de hoje não tem um sentido de obrigatoriedade, não é um valor obrigatório. Não é um dever-ser, apenas um ser.

Os valores podem apresentar uma hierarquia, neste caso uns valem mais que outros, contudo, essa hierarquia pode apresentar variações.
 
Por exemplo, um artista pode considerar os valores estéticos os mais importantes. Durante a época mercantilista – e em grande medida ainda hoje – muitos consideram os valores utilitários os mais importantes. Cada época histórica tem a sua escala diferenciada de valores e a forma específica de encarar cada um deles. Os regimes totalitários, por exemplo, defendiam como mais importantes os valores vitais.


Os conteúdos dispostos nas postagens são rascunhos, podendo apresentar erros de concordância ou ortografia. Na medida do possível tentar-se-á corrigir as imprecisões, incluir a bibliografia e rever textos e informações imprecisas.

P.S. - Se você curtiu as postagens e o blog foi útil não deixe de clicar em um dos anúncios!


Imago História

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os conteúdos dispostos nas postagens são rascunhos, podendo apresentar erros de concordância ou ortografia. Na medida do possível tentar-se-á corrigir as imprecisões, incluir a bibliografia e rever textos e informações imprecisas.

P.S. - Se você curtiu as postagens e o blog foi útil não deixe de clicar em um dos anúncios!