Globalização (3 de 6) - Época do expansionismo mercantilista ou capitalismo comercial


Essa fase começa com as Grandes Navegações e se estende até o século XVIII.

Inicialmente, esse grande impulso da globalização e marcado pelo estabelecimento de feitorias, ou postos comerciais pelo mundo – quase sempre sendo necessário o apoio dos canhões europeus para garantir seus interesses.

Nessa fase, se tem, igualmente, a migração de milhares de europeus e africanos para o continente americano, com o objetivo de colonizar as novas terras “descobertas” visando à exploração das riquezas naturais ou o desenvolvimento das monoculturas para exportação (as chamadas colônias de exploração).

Tendo como objetivo conseguir mão-de-obra para o desenvolvimento das plantações a América vai receber mais de 11 milhões de africanos que, escravizados, constituirão a principal mão-de-obra em países como o Brasil (quase a metade desses escravos aportou no Brasil). Na região da América do Norte, tivemos ainda a formação das colônias de povoamento, geralmente de migrantes puritanos que fugiam das perseguições religiosas e intentavam um novo começo na América.

De forma geral a relação entre metrópoles e colônias era pautada pelo Pacto Colonial, onde o colônia somente poderia manter relações comerciais com a metrópole (exclusivismo comercial). Temos nesse âmbito a primeira DIT (divisão internacional do trabalho) onde a colônia deveria fornecer matérias-primas e adquirir os produtos manufaturados da metrópole.

Uma das consequências desse processo de integração capitalista e globalização foram a catástrofe demográfica indígena, onde em algumas regiões a população de nativos foi reduzida em mais de vinte vezes tendo como base a população original. A violência, as doenças e a utilização do trabalho compulsório dos indígenas destruíram em muitos locais as suas formas de vida.


O principal objetivo e característica econômica dessa fase do capitalismo comercial foi o acúmulo de riquezas, de todas as formas possíveis e imagináveis. Entre os pontos fundamentais da chamada política mercantilista, pode-se destacar:

  • Balança comercial favorável – Exportar mais do que importar.
  • Protecionismo – Proteção da produção de cada país.
  • Monopólio – O comercio com a colônia era exclusividade da metrópole.
  • Metalismo – A riqueza e importância de um país era medido pela quantidade de metais preciosos acumulados.



Os conteúdos dispostos nas postagens são rascunhos, podendo apresentar erros de concordância ou ortografia. Na medida do possível tentar-se-á corrigir as imprecisões, incluir a bibliografia e rever textos e informações imprecisas.

P.S. - Se você curtiu as postagens e o blog foi útil não deixe de clicar em um dos anúncios!


Imago História

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os conteúdos dispostos nas postagens são rascunhos, podendo apresentar erros de concordância ou ortografia. Na medida do possível tentar-se-á corrigir as imprecisões, incluir a bibliografia e rever textos e informações imprecisas.

P.S. - Se você curtiu as postagens e o blog foi útil não deixe de clicar em um dos anúncios!